Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Saltos de Cristal

Saltos de Cristal

O Pântano dos Sacrifícios

35544061_2034903026520377_6461195577144115200_n.jp

 

Altamente disputado e considerado o Livro da Feira do Livro de Londres de 2017, "O Pântano dos Sacrifícios" já foi vendido em mais de 26 países, incluindo EUA e Reino Unido.

 

Traduzido do original sueco por João Reis, esta história lembra os cenários da série de culto Twin Peaks e traz à luz do dia superstições e oferendas humanas preservadas em pântanos. Um livro de ficção, mas que bebe inspiração em factos bem reais.

 

Desde a primeira página que fiquei viciada nesta história e só consegui largar o livro quando cheguei á última palavra. O que é uma sensação maravilhosa! Consegui mesmo desligar-me do mundo e ficar apenas focada na trama de Susanne Jansson. 

 

O Pantano dos Sacrificios.jpg

 

Sobre o livro:

Em tempos, realizavam-se oferendas humanas em pântanos.

Agora, há pessoas a desaparecer…

Crê-se que antigamente os pântanos eram usados como locais onde se realizavam sacrifícios humanos. Por serem pobres em oxigénio, estes terrenos atrasavam o processo de decomposição dos corpos, levando à sua preservação. Há por isso quem acredite que as almas lá enterradas não conseguem encontrar descanso, atraindo até si novas vítimas.

Nathalie Nordström é uma jovem bióloga que se desloca até a um pântano no norte da Suécia para realizar uma experiência de campo. Nathalie cresceu naquela zona, mas partiu quando uma terrível tragédia se abateu sobre a sua família.

Numa noite de tempestade, um mau pressentimento leva-a até ao pântano. Lá encontra um homem inconsciente, prestes a afundar-se. A polícia começa a investigar o caso e acaba por encontrar cadáveres ali enterrados.

Estará o pântano a reclamar mais sacrifícios, como alguns habitantes locais acreditam?

 

Sobre a autora:

Susanne Jansson nasceu em 1972 em Åmål, na Suécia. Mais tarde mudou-se para Gotemburgo, para trabalhar em publicidade, e depois para Nova Iorque, onde estudou fotografia.

Depois de regressar à Suécia, trabalhou como fotógrafa freelance enquanto estudava jornalismo, e nos últimos 20 anos tem combinado o seu trabalho de fotógrafa com o de jornalista, tendo-se especializado em reportagens e histórias ligadas às áreas da cultura, cinema, teatro e literatura. Também escreveu contos policiais para revistas.

Pântano dos Sacrifícios é o seu primeiro romance e um verdadeiro êxito internacional, tendo os seus direitos sido vendidos para 26 países.